Itália – Milão

Você sabe que chegou na Itália quando olha pela janela do avião e fica sem palavras para descrever o que está vendo. Vista de cima só não consegue ser mais perfeita do que vista de pertinho, passando por cada rua que carrega milhares de anos de história e memórias.

Vou fazer posts, não só eu contando como foi a viagem, mas também um guia pra quem vai e quer dicas.

Então, se assim como eu, você chegar pelo aeroporto de Bérgamo, terá que pegar um ônibus que te custará uns 10 euros mais ou menos para te levar até Milão, fica a 1h de distância.

Fica claro que você vai encher os olhos com coisas maravilhosas quando chega na Milano Centrale, a estação principal de Milão, que já é linda e muito bem planejada em termos arquitetônicos. Lá compramos nossos bilhetes de trem para todos os dias. Ou seja, de Milão para Verona, depois Veneza, Florença, Roma, e de volta para Milão, já que nosso voô para Madrid partiria de lá.

Muita gente fala sobre Milão ser sem graça do ponto de vista turístico. Não vou dizer que é um prato cheio de atrações e diversão porque estaria mentindo, mas é uma cidade linda pra se conhecer, não para ficar vários dias, porque seria um tanto quanto tedioso.

Não dá pra não conhecer o cartão postal da cidade, a Duomo di Milano com toda sua riqueza de detalhes e complexidade no estilo gótico.

Pelo pouco que pude ficar observando* a catedral é linda, toda detalhada e a foto não mostra o quanto ela é bela pessoalmente.

Me explico: *Você chega da estação de metro (que é mais ou menos de onde tirei a foto) e já vem muitos caras atacando você pra te colocar pulseiras no pulso e vender coisas, e enquanto você tenta dizer que não quer nada tem um monte de pássaros te assustando e chegando perto, quando você dispensa um carinha já vem outro colocando a pulseira e você não consegue se mexer direito. Pra piorar vem uns querendo te dar milho nas mãos, e eu lerda como sempre pensei que era pra jogar pros pássaros (o que pode ser também), mas no momento que você aceita o milho, quem disse que os pássaros esperam você jogar? Eles comem na sua mão, aquela cena linda para se fotografar! (não pra mim, eu tenho aversão a aves – trauma de infância quando ia buscar ovos no galinheiro na fazenda e as galinhas corriam atrás de mim – sério – sorte eu não ter aceitado aquele milho). Devido a todos esses motivos, eu acabei ficando tão nervosa que mal pude ver e fotografar a Duomo.

Agora, dentro dela pude apreciar todos os detalhes com calma. Eu juro que um dia vou ser o tipo de fotografa que chega num lugar e consegue retratar a beleza integral das coisas ou fazer com que se pareçam ainda mais belas. Mas quem disse que consigo agora? Queria ter boas fotos pra mostrar essa catedral por dentro, porque é linda demais.

Ao lado da Duomo di Milano fica a Galleria Vittorio Emanuele. A galeria é a mais famosa da cidade porque possui apenas lojas de luxo com as melhores marcas do mundo. Nem me dei ao trabalho de olhar (muito) paras lojas (caras), me contentei em admirar a beleza da arquitetura do lugar, construido cheio de detalhes, e ainda por cima dá pra ver uns afrescos lindos que foram pintados perto do teto de vidro e ferro.

Essa é uma loja dentro da galeria, embora tenha lojas especificas de cada marca, essa é uma que vende diversas em um lugar só.

Teto e afrescos:

Depois daqui, nosso próximo passo foi correr pro Castello Sforzesco, um castelo do século XV.

Dentro do castelo, na parte central:

Atrás do castelo tem um parque lindo, com a maior área verde de toda a cidade de Milão, se chama Parco Sempione.

Lá ao fundo se vê o Arco della pace.

A grama é linda e toda florida, a vontade é de se jogar!

Achei incrível e sentei em pelo menos umas 15.

Romântico…

Bom pra passear com animais (mas é limpo).

Dá pra entender porque eu tardo tantos nos posts sobre viagens, né? Eles são gigantes, e essa foi a cidade da qual tive menos histórias pra contar… Obrigada se você leu até aqui! E espere por posts maiores! :) hahaha

Anúncios